quarta-feira, julho 02, 2008

Hoje vou debruçar-me a falar de ecologia…
Porque todos vivemos neste Mundo de matas verdes repletas de preservativos usados e autoestradas limpas, decidi reflectir um pouco sobre a preocupação ambiental de vários povos a diferentes niveis.

Vou começar por falar dos tugas porque verdade seja dita são os únicos que conheço para poder deitar abaixo. Pegando nas associações ecologistas, devo dizer que não passam de associações e como até nas organizações sem fins lucrativos se ganha dinheiro, nestas também se deve ganhar e não é pouco.
Daí que se veja coisas como esta malta verde a tentar proteger o Rio Tinto de ser entubado (rio esse que deixou de ser rio a partir do momento que mudou de cor três vezes na mesma semana) em vez de se preocuparem em fechar as fábricas que o colocaram naquele mísero estado. Muito provavelmente os donos das fábricas contribuem generosamente para a continuação da chuchadeira ambiental e a coisa vai andando.

E pronto, já desanquei numa espécie que me agonia seriamente como todas as pessoas falsas me agoniam e agora vou falar de ecologia. Digam o que disserem, mas estes Coreanos apesar de deixarem as garrafas na rua depois duma noite de farra preocupam-se muito mais com o ambiente do que na Europa. E num pormenor muito simples… Fast food.

Aqui, como em todo o Mundo, existe fast food… tabuleiros, copos de plástico e papel, aquelas tampas de plástico, palhinhas, 50% de gelo nas bebidas, papel de embrulho, etc,etc…
O pormenor ecologista disto é simplesmente o facto de eles terem contentores diferenciados para colocar o lixo resultante do fast food. Ou seja, separa-se o plástico do papel, do lixo indiferenciado e mais… Este é o meu pormenor favorito, tem um sitio para deitar o gelo que ficou da bebida!

Digam lá quem é que é o verdadeiro ecologista?

3 comentários:

Luísa disse...

Tudo é reutilizável! Até o gelo ;)
lol

pikenatonta disse...

Uau, ena, ena!! :)

Alex disse...

Essa é uma das grandes falhas dos "tugas" e não custa muito dinheiro (investimento) somente um pouco de sensibilidade de quem nos dirige (principalmente)
1 Abraço - XELA